.posts recentes

. O REGRESSO.. NOUTRO SÍTIO

. Arquivos

. A Incerteza

. Mimos e Beijos

. 3 Anos

. Esclarecimentos

. Decisões...

. Lene

. Ter-te comigo

. Pequena frase

.arquivos

. Maio 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

Sexta-feira, 12 de Novembro de 2004

A Queda de um Mito

Hoje vou falar do meu outro amor... a Medicina.

A maioria de nós encara-a como instrumento para resolver todos os nossos problemas, cegamente nos submetemos aos seus intrumentos e sem contestação aceitamos os seus resultados. Não é por acaso que a às profissões de saúde esteja associada a cor branca, pretende-se transmitir a imagem de rigor, justiça e de pureza.

Um grande equívoco. Quanto mais se progride neste curso, mais se desmascaram as incertezas, as dúvidas e as falhas desta ciência. A Medicina está longe da perfeição. À medida que o progresso avança, mais reconhecemos a nossa ignorância e o nosso pequeno papel no longo caminho da Vida.

Entristece-me que muita gente, sobretudo a COMUNICAÇÃO SOCIAL, a veja como um meio e não como um instrumento para obter a qualidade de vida. Todos os dias chegam aos nossos ouvidos relatos de médicos negligentes que enchem os bolsos à custa dos pobres pacientes. Na realidade, os médicos que ganham muito dinheiro são uma pequena minoria. É um curso longo e duro que exige os mais altos sacrifícios, especialmente para os estudantes... estudam em quantidades absurdas sem reclamar, fazem bancos de 48h sem pestanejar perante as ordens e exigências dos professores... Somos treinados para parecer autómatos, no fim teremos aprendido praticamente todas as patologias, tecer os mais brilhantes diagnósticos, mas pouco sabemos como lidar com o doente.

O dia mais terrível para um estudante de Medicina é quando se coloca sozinho perante um outro ser humano que se encontra fragilizado, em que a pessoa coloca nas mãos do médico a sua vida...

Acreditem, ou se gosta ou se odeia.
Eu gosto.




publicado por Unpredictable às 23:39
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De Anónimo a 16 de Novembro de 2004 às 21:56
Ola!!
Olha xegamos aqui através dum blog doce: "Diario do nosso Amor", e tmb adoramos parar por aqui...nao se ve mtas vezes blogs a dois, e ficamos contentes por encontrar um deles :)
Gostamos dos textos e de voces!!
Deixamos um Abraço e esperamos que nos visitem tmb :)R & T
(http://www.nossoabrigo.blogspot.com)
(mailto:onossoabrigo@hotmail.com)
De Anónimo a 13 de Novembro de 2004 às 12:44
Sei bem daquilo que falas. Estou a estudar Enfermagem, e nos estágios deparo-me algumas vezes com esses mesmos problemas. Durante as aulas ouvimos falar na "humanização dos cuidados", na diferença entre tratar e cuidar de alguém, mas quando tentamos por a teoria em prática, nem sempre é possível, pelos mais diversos motivos. E concordo contigo quando dizes "ou se gosta ou se odeia" deste tipo de profissões..Eu adoro! É um curso em que temos de "dar o litro", porque não basta ir às aulas e fazer frequências, mas quando chegamos ao estágio e temos oportunidade de realmente cuidar de alguém, compensa imenso, e pelo menos a mim faz-me sentir realizada! Boa sorte na continuação dos vossos estudos :DAdrianne
</a>
(mailto:adrianne@clix.pt)
De Anónimo a 13 de Novembro de 2004 às 10:09
Este verão fiquei sensibilizada para os problemas de que falas.
Se ainda não leste, lê "A Casa dos Deuses" de Samuel Shem. É uma história arrepiante de um grupo de estudantes de medicina que fazem o internato no fim do curso. É passado nos anos 70 mas creio que em muitas coisas ainda seja actual.

Ainda bem que gostas do que fazes... Espero que nunca venhas a odiar, porque o nosso país precisa de médicos dedicados :)Afrodite
(http://onossoamor.blogspot.com)
(mailto:onossoamor@sapo.pt)

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2005

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
24
25
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO

.subscrever feeds