.posts recentes

. O REGRESSO.. NOUTRO SÍTIO

. Arquivos

. A Incerteza

. Mimos e Beijos

. 3 Anos

. Esclarecimentos

. Decisões...

. Lene

. Ter-te comigo

. Pequena frase

.arquivos

. Maio 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

Segunda-feira, 13 de Dezembro de 2004

A Nossa Infância...

Distantes são as manhãs de sábado e de domingo. em que ficava à espera, ansiosamente, que a mira técnica da RTP desse lugar aos desenhos animados... Em que as tardes de brincadeira na rua pareciam dias inteiros...
Este texto foi retirado de um blog de um colega de faculdade, o 100 Norte.
Aqui fica um breve retrato desses tempos...

1. De crianças andávamos em automóveis que não tinham cintos de segurança, nem airbag.
2. Ir na parte de trás de uma carrinha era um passeio especial que ainda hoje recordamos.
3. As nossas camas estavam pintadas com cores brilhantes de pinturas com produtos tóxicos.
4. Não tinhamos tampas especiais nas garrafas de detergente ou nas embalagens de medicamentos.
5. Quando andávamos de bicicleta não usávamos capacete.
6. Bebíamos água da torneira e não de uma garrafa de água mineral.
7. Gastávamos horas e horas a construir os nossos carros e nas estradas inclinadas percebíamos que não tinhamos travões . Depois de vários choques contra algumas árvores aprendemos a resolver o problema. Nós raramente chocávamos com automóveis!.
8. Saíamos para brincar com a única condição de regressarmos antes do anoitecer.
9. A escola durava, até ao meio-dia, chegávamos a casa para almoçar e depois voltávamos para a escola. Não tínhamos telemóvel por isso ninguém podia localizar-nos. Impensável.
10. Quando nos cortávamos, partíamos uma perna ou um braço, perdíamos um dente, nunca ninguém reclamava por isso. Ninguém era culpado a não ser nós mesmos.
11. Comíamos biscoitos, pão e manteiga. Ingeríamos bebidas com açúcar e nunca tínhamos excesso de peso porque andávamos sempre em movimento.
12. Partilhávamos uma bebida... bebíamos da mesma garrafa e ninguém morria por isso.
13. Não tínhamos Playstations, Nintendo 64, X boxes, jogos de vídeo, 99 canais de televisão, aparelhagens, telemóveis, computadores , chats na Internet... mas tínhamos amigos.
14. Saíamos, andávamos de bicicleta e caminhávamos até a casa de um amigo , entrávamos sem tocar e saíamos para jogar.
15. Lá fora, nesse mundo terrível! Sem nenhum guardião! Como faziamos?. Formávamos grupos para jogar à bola. Nem todos eram escolhidos e nem por isso ficavam traumatizados.
16. Alguns estudantes não eram tão brilhantes como outros e quando perdiam um ano, repetiam. Ninguém ia ao psicólogo, ao pedopsiquiatra, ninguém tinha dislexia nem problemas de atenção nem hiperactividade, simplesmente repetia o ano e tinha uma segunda oportunidade.
17. Tinhamos liberdade, fracassos, êxitos, responsabilidades... e aprendemos a geri-los. A grande pergunta é:

Como fizemos para sobreviver?

E sobretudo como fizemos para ser as grandes pessoas que somos agora?

Tu és dessa geração?
Então, foste FELIZ!

O que se passa com os miúdos de hoje?
publicado por Unpredictable às 19:47
link do post | comentar | favorito
|
4 comentários:
De Anónimo a 18 de Dezembro de 2004 às 23:47
Oh pah ... e eu que adorava vir pra casa ver o Tom Saywer ... tbm o andre uma vez me mandou uma coisinha fixe desse genero escrito pelo Mark Kalk ou la como o mosso se xama ...Patricia
(http://chamomepatricia.blogs.sapo.pt)
(mailto:noratlas@hotmail.com)
De Anónimo a 15 de Dezembro de 2004 às 10:26
Não me parece q tenha a mesma idade que tu, mas tive uma infancia com as mesmas condiçoes.. era um mundo mais calmo e facil de se ser criança. Nao tinhamos que crescer por vontades subentendidas.. :) eramos mais felizes sem duvida! Beijocas a ambosTania
(http://mooncat.blogdrive.com/)
(mailto:mooncat@netcabo.pt)
De Anónimo a 14 de Dezembro de 2004 às 02:56
Em resposta ao vosso comentário no meu humilde blog têm razão quem me dera que o espirito de natal durasse o ano todo!:)xana
(http://olevruc.blogs.sapo.pt)
(mailto:olevrucanax@sapo.pt)
De Anónimo a 13 de Dezembro de 2004 às 20:37
É bem verdade! E não era tão bom?
Quem me dera que os meus filhos pudessem crescer assim, um dia...Afrodite
(http://onossoamor.blogspot.com)
(mailto:onossoamor@sapo.pt)

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2005

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
24
25
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO

.subscrever feeds